Comentários

(29)
L
Leonardo Pinheiro
Comentário · há 5 meses
Pezani & Jesus Sociedade de Advogados,

Primordialmente, ressalta que os tiros vieram de ARMAS. É egoísmo pensar sobre regularidade quando a vida de muitas pessoas, crianças, foram consumadas pelo uso de armas. Pensamento extremamente simplório e contraditório. Faço-me o seguinte questionamento:

''Como é que as pessoas acham que com mais armas na rua resolveriam o problema de segurança pública?''

Se não basear-se no achismo, procurar dados, verá que após o Estatuto do desarmamento, homicídios cometidos por armas de fogo tiveram contínua redução, porém, que de fato aumentou nos últimos anos. Mas esse aumento deve-se a falta de armas de fogo? Se fosse esse o caso, desde 2003 haveria crescente.

É dever do Estado promover segurança, e se não o fizer, questione, pois quanto mais armas na rua, menos saberemos de quem são os criminosos e quais são as ilegais. Ninguém vem com um adesivo ''cidadão de bem''. Aliás, é um termo que deveria ser pejorativo, pela quantidade absurda de crimes cometidos por quem se autodenomina ''cidadão de bem''.

O livre acesso à armas, não caracteriza risco apenas para quem está a redor, mas também, para quem a possui. Lembremos do fatídico dia em que o atual presidente, foi assaltado e levaram sua moto e seu revólver. Após o feito, proferiu a seguinte frase:

''- Mesmo armado me senti indefeso.''

Como provavelmente o Sr°/Srª é alguém que acompanha notícias, deve ter visto que os maiores fornecedores de armas aos criminosos é a própria polícia. Sim, a polícia que possui exclusivamente ''cidadãos de bem'' e possuem o dever de proteger o povo, a mesma (pol/mil)ícia que anda ao lado do presidente da república.

Por fim, de fato é caótica a segurança pública em nosso país, porém, as armas não irão reduzir o número, podendo o efeito ser bem reverso do desejado.
Novo no Jusbrasil?
Ative gratuitamente seu perfil e junte-se a pessoas que querem entender seus direitos e deveres

ANÚNCIO PATROCINADO

Outros perfis como Leonardo

Carregando

Leonardo Pinheiro

Entrar em contato